Madeiras para Telhados

GARAPA

Garapa

 

Outros nomes: amarelinho, garapeira, gema-de-ovo, grápia, grapiapúnha, jataí-amarelo.

Características Gerais: cerne variando de bege-amarelado a castanho-amarelado; superfície lustrosa e lisa ao tato; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade média; dura ao corte; grã revessa; textura média.

Durabilidade natural: o cerne apresenta resistência ao ataque de fungos apodrece­dores e alta resistência ao cupim-de-madeira-seca. Em ensaio laboratorial, esta madeira foi conside­rada resistente aos fungos apodrecedores Glocophyllum trabum, Coriolus versicola e Poria montico­la.

USOS

Construção civil:

  • Pesada externa: pontes, estacas, dormentes ferroviários, cruzetas, mourões, postes
  • Pesada interna: vigas, caibros
  • Leve externa: caibros, caixilhos, guarnições, ripas, sarrafos
  • Leve interna, esquadrias: portas, venezianas, caixilhos
  • Leve interna, decorativa: cordões, guarnições, forros, rodapés

Assoalhos:

  • tacos
  • tábuas
  • parquetes
  • degraus de escada
  • Deck

Mobiliário:

  • Alta qualidade: móveis decorativos

Outros usos:

  • cabos de ferramentas
  • transporte

Pode substituir: madeiras resistentes e duráveis para construção pesada e leve, externa e inter­na, tais como angelim-pedra e angelim-vermelho, angico, cupiúba, ipê, itaúba, jatobá, muiracatiara, pau-roxo, sucupira, parajú, além de outras.

JATOBÁ

Jatobá

 

Outros nomes: courbaril, jataí, jataíba, jatobá­-curuba, jatobazinho, jutaí, jutaí-açu, jutaí-do-igapó, jutaí­-grande, jutaí-mirim, jutaí-vermelho.

Características gerais: cerne distintos pela cor, variando do castanho-amarelado ao castanho-avermelhado com linhas escuras, tornando-se com o tempo, vermelho-castanho-escuro. Cheiro imperceptível e gosto indistinto.

Durabilidade natural: é considerada altamente resistente aos térmitas e fungos de podridão branca e parda. Sendo também muito resistentes a cupins, mesmo submetido a condições que favorecem o apodrecimento (contato com o solo, umidade e calor).

USOS

Construção civil

  • Pesada externa: dormentes ferroviários, cruzetas
  • Pesada interna: vigas, caibros, tesouras
  • Leve externa: caibros, caixilhos, guarnições, ripas, sarrafos
  • Leve interna, esquadrias: portas, janelas, batentes
  • Leve interna, decorativa: guarnições, rodapés, painéis, forros, lambris

Assoalhos:

  • tábuas
  • tacos
  • parquetes
  • degraus de escada
  • Deck

Mobiliário:

  • Alta qualidade: móveis finos

Outros usos:

  • artigos de esporte e brinquedos
  • cabos de ferramentas
  • implementos agrícolas
  • peças torneadas
  • transporte

Pode substituir: madeiras resistentes e duráveis para a construção civil pesada e leve, externa e interna, decorativa, estrutural ou de utilidade geral, tais como: angelim-pedra, angelim-vermelho, an­gico, cupiúba, garapa, ipê, itaúba, parajú, muiracatiara, piquiarana, pau-roxo, sucupira e outras.

PARAJÚ

Parajú

 

Outros nomes: maçaranduba, maçaranduba-de-leite, maçarandubinha, parajuba.

Características gerais: Cerne vermelho-claro, quando recém cortado, tornando-se vermelho a marrom-avermelhado-escuro. Anéis de crescimento distintos, grã direita, textura fina, brilho ausente e cheiro imperceptíveis.

Durabilidade: resistente ao ataque de fungos apodrecedores e cupins. Resistente a cupins de madeira seca. Resiste bem a umidade.

USOS

Construção civil:

  • Pesada externa: dormentes ferroviários, cruzetas
  • Pesada interna: vigas, caibros, tesouras
  • Leve externa: caibros, caixilhos, guarnições, ripas, sarrafos
  • Leve interna, esquadrias: portas, janelas, batentes
  • Leve interna, decorativa: guarnições, rodapés, painéis, forros, lambris

Assoalhos:

  • tábuas
  • tacos
  • parquetes
  • degraus de escada

Outras Aplicações:

  • Deck
  • Construção naval;
  • Cais para embarcação;
  • Torneados;
  • Chapas;
  • Instrumentos musicais;
  • Assoalhos;
  • Carrocerias para caminhões;

 

Pode substituir: madeiras resistentes e duráveis para a construção civil pesada e leve, externa e interna, decorativa, estrutural ou de utilidade geral, tais como: angelim-pedra, angelim-vermelho, an­gico, cupiúba, garapa, ipê, itaúba, garapa, muiracatiara, piquiarana, pau-roxo, sucupira, jatobá e outras.

PEQUIÁ

Pequiá

 

Outros nomes: piqui, piquiá-verdadeiro e pequi-preto.

Características gerais: cerne marrom-pálido-acinzentado a marrom-muito-pálido, distinto do alburno branco a amarelo-pálido. Anéis de crescimento pouco distinto, grã revessa, textura média, brilho ausente e cheiro imperceptível.

Durabilidade: alta resistência ao ataque de cupins e fungos.

USOS

Construção civil:

  • Pesada externa: dormentes ferroviários, cruzetas, postes, defensas, estacas, mourões
  • Pesada interna: vigas, vigota, ripa, caibros e pontalete.

Portais, alisares, carroceria de caminhão e outros.

Pode substituir: madeiras resistentes e duráveis para a construção civil pesada e leve, externa e interna, decorativa, estrutural ou de utilidade geral, tais como: angelim-pedra, angelim-vermelho, an­gico, cupiúba, garapa, ipê, itaúba, parajú, jatobá, muiracatiara, piquiarana, pau-roxo, sucupira e outras.

TATAJUBA

Tatajuba

 

Outros nomes: amarelão, amarelo, garrote.

Características gerais: cerne e alburno dis­tintos pela cor; cerne amarelo-dourado, escurecendo para castanho-amarelado; brilho moderado; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade média; moderada­mente dura ao corte; grã revessa; textura média.

Durabilidade natural: O cerne é resistente ao ataque de fungos de podridão-branca e parda. A madeira de tatajuba, em ensaios de campo realizados pela EMBRAPA, na Amazô­nia, demonstrou ter alta durabilidade natural. Considerada resistente ao ataque de perfuradores marinhos e, em contato com o solo, pode apresentar vida útil superior a 25 anos.

USOS

Construção civil

  • Pesada externa: dormentes ferroviários, cruzetas, estacas, defensas
  • Pesada interna: tesouras, vigas, caibros
  • Leve interna, esquadrias: batentes, janelas
  • Leve interna, decorativa: painéis, lambris, forros

Assoalhos:

  • tábuas
  • tacos
  • parquetes
  • decks

Mobiliário:

  • Alta qualidade: móveis decorativos

Outros usos:

  • lâminas decorativas
  • decoração e adorno
  • peças torneadas
  • embarcações
  • cabos de ferramentas

Pode substituir: madeiras usadas na construção pesada externa e interna, mas também em contrução leve decorativa, mesmo em esquadrias, tais como os angelins, curupixá, jatobá, louro­-vermelho, muiracatiara, pau-roxo, parajú, garapa e sucupira.

TIMBORANA

Timborana

 

Outros nomes: angico, angico-vermelho, faveira-folha-fina, timbaúba.

Características: cerne marrom a marrom-avemelhado, pouco distinto do aburno marrom-pálido. Anéis de crescimento distintos, grã revessa, textura média, brilho moderado e cheiro imperceptível.

Durabilidade: resistente ao ataque de fungos e insetos.

USOS

Construção civil

  • Pesada interna: vigas, caibros, tesouras
  • Leve externa: caibros, caixilhos, guarnições, ripas, sarrafos

Pode substituir: madeiras resistentes e duráveis para a construção civil pesada e leve, externa e interna, decorativa, estrutural ou de utilidade geral, tais como: angelim-pedra, angelim-vermelho, an­gico, cupiúba, garapa, ipê, itaúba, parajú, muiracatiara, piquiarana, jatobá,  pau-roxo, sucupira e outras.